segunda-feira, 14 de outubro de 2013

I Drove All Night

 A madrugada em claro, dirigindo, não aguentaria passar mais uma noite sozinho. Entrou no carro e rumou em direção onde seu amado estava. Horas a foi pensando vendo as luzes da estrada passando sobre o carro, faróis vindo na pista de direção contraria e a luz das estrelas até onde a vista alcançava. Deveria ter ligado antes para avisar? Agora já era tarde, não demoraria muito para atingir seu destino.
 Foi o caminho todo pensando por tudo o que passaram juntos, os momentos felizes, os problemas, as brigas e as reconciliações. A distância sempre foi um empecilho de estarem juntos, viam-se quase todo mês, mas no último aconteceram tantos imprevistos que não conseguiram se encontrar, a saudade o queimava por dentro, não aguentaria esperar mais um mês. Não mais uma noite escura e gelada, não sozinho.
 As luzes foram ficando mais intensas, havia chego finalmente, o relógio marcava exatamente meia noite, cinco horas de estrada sem pausa. Sabia o endereço, assim como que caminho pegar para chegar mais rápido, poucos minutos se passaram até chegar. Desligou o carro, respirou fundo e andou em direção a porta. Tocou a campainha e esperou, minutos se passaram e nada, tocou novamente e o mesmo resultado. Será que ele não estava em casa? Dirigiu para não conseguir vê-lo? Realmente deveria ter ligado antes. Deu meia e andou em direção ao carro, cabisbaixo, quando um barulho veio da direção da porta, a chave girando na fechadura. Virou quase instantaneamente e se aproximou de volta da casa. A porta se abriu.
“Surpresa!”

Escrevi esse texto dia 07/08/2012, no começo da paixão que me toma até hoje, ele resumia minha unica vontade até então.
Qualquer semelhança com a música 'I Drove All Nigh' não é mera coincidência, era minha música mais ouvida naquela época, deixo aqui a minha versão favorita, caso queiram ouvir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário